domingo, 15 de dezembro de 2013

O Mito do Rei Arthur - Resumo!


Canal de NOVA ACRÓPOLE BRASIL no Youtube


Por que os MITOS são importantes?

A linguagem mítica é muito profunda.
É importante saber como nascem os mitos, o que eles representam, como nasceram, a fim de entendermos o simbolismo do mito.

No caso concreto que iremos referir:

-    do ponto de vista filosófico, o importante é o significado do mito. Se existiu historicamente ou não o rei Arthur, é irrelevante.

-------------------------------------

Quando Roma coloniza a região do sul da Inglaterra (A Bretanha), transforma-a em uma ilha organizada no meio de povos bárbaros (saxões, escoceses). Com a decadência, Roma deixa de ter condições de sustentar uma colônia tão distante e deixa a Bretanha à sua própria sorte. Os bretões, que são os celtas “romanizados”, ali permanecem cercados pelos bárbaros.

Mais tarde, os bretões aliam-se aos saxões, e estes, ao entrarem na Bretanha se admiraram da riqueza do local, pelo que logo quiseram dominar a região.


Surge posteriormente Merlin, criança especial, que no reinado de Voltijem (um reino celta), é levado ao rei para ser sacrificado. Merlin avisou o rei da inutilidade da sua morte e prevendo o futuro do rei, é poupado do sacrifício.

Merlin torna-se um guerreiro pela unificação da Bretanha (uma só terra, um só rei).

Relação entre o histórico e o mítico

 Vortigen é personagem histórico; Merlin já não se sabe. (Sempre há uma faceta histórica por detrás de um mito). A História enuncia os fatos; o mito explica-os

O mito seria o mundo dos ideais humanos. A forma ideal de ação. O arquétipo (palavra mais sofisticada que significa modelo, ideal de uma conduta perfeita).

Quando se preenche o modelo com a substância ele vira FATO.
(exemplo a costureira e a calça).

Então a questão é: Pode haver um modelo para o comportamento humano???
Um modelo que aponte como enfrentar as dificuldades?

A resposta é afirmativa, uma vez que o homem, ao longo da sua trajetória, tem um ponto de partida e um ponto de chegada ( O IDEAL).
Entre estes dois pontos há diversas etapas.
Será que existe uma forma ideal de se enfrentar estas etapas? Existirá um modelo de perfeição e sabedoria para enfrentar as fases???

O MITO é um MODELO de como o homem pode aceder a um outro estagio emotivo, um outro estagio de consciência. Portanto, ele está acima de qualquer tempo e de qualquer espaço. É atemporal. Tanto o homem do passado, como o do presente e como o do futuro enfrentam as mesmas etapas para chegar ao IDEAL. (ex: lidar com a vida, a morte, o desejo, etc., é sempre da mesma maneira. A questão é saber lidar com as nossas escolhas, saber controlar o nosso temperamento).

Os Mitos são portanto abstrações que pertencem à Humanidade. Eles representam os modelos do perfeito. Como são abstratos, necessitam dos símbolos.

Os gregos dividiam o mundo em FÍSICO – EMOCIONAL – ESPIRITUAL.

O Mito refere-se ao mundo das ideias , o espiritual, enquanto que o Símbolo representa a resposta.

-------------------------------------

Na Filosofia:
-    A Filosofia dá as ferramentas para se saber qual seria o IDEAL. Isso estará na consciência.
-    Porém, o maior aliado da nossa INÉRCIA é a INCONSCIÊNCIA.
A nossa consciência nos cobra e vai avisando dos erros que vamos cometendo).

Através do MITO banaliza-se a vida. O MITO desce ao mundo através dos símbolos que são vivenciados e correspondem às transformações praticas da vida dos homens.

Nós ainda não geramos símbolos próprios e por isso usamos os símbolos existentes, dos gregos , dos egípcios, etc. Ainda não nos conscientizamos para a necessidade de criarmos nossos símbolos.

Segundo Platão, uma sociedade sem heróis está sujeita a permanecer na mediocridade. Ela perde a perspectiva da dimensão que poderia alcançar.

ANÁLISE FILOSÓFICA:
O Homem somente terá acesso ao plano espiritual através de um processo de transmutação da consciência, a fim de reformular valores, transformá-los e fim de renascer novo e purificado para a vida interior. (o feitiço da transmutação de Uther levou a renascer purificado em Arthur.)

Para Platão, a vida tem 3 atributos (o bem, o belo e o justo). Para o homem, é mais fácil apreender o belo, que é o atributo mais perceptível do homem. Através do belo pode-se alcançar o divino.

Simbolicamente, o elemento fundamental do mito é Arthur, que representa o princípio espiritual. Guinevere representa a alma e Lancelot o corpo físico.

Quando os 3 se unem estabelecem um reino invencível. Eles representam o mundo que se encontra dentro de nós.

Exs: Guinevere ama seu corpo, se atrai pela sua beleza, e trai o rei Arthur. (quantas vezes o ser humano, para resguardar seu corpo físico, trai os princípios espirituais em prol do corpo físico?) 

A traição fundamental é a traição da psique humana.
Quando não nos submetemos aos princípios espirituais destruímos o nosso corpo, pois por inércia, adquirimos vícios, manias, etc.

Lancelot, se não se submetesse a Arthur tornar-se ía um mendigo, um eremita.

A procura do GRAAL já é um processo da cristianização do mito, e simboliza a união dos 3 corpos.

Recuperar o Graal significava reunir o principio espiritual, o psicológico e o material (físico), sob uma única lei. O Graal representa o pacto entre o divino e o humano, a reunião dos 3 mundos em prol de uma única LEI.

No MITO, Arthur representa o principio espiritual, Guinevere a psique e Lancelot, (cavaleiro), representa o físico. Camelot é o símbolo do homem ideal.

Quando Guinevere se enamora de Lancelot e trai Arthur, estamos perante o grande drama humano: quando se traem princípios espirituais, quando o homem, por apego à personalidade trai o seu ser. A traição de Guinevere em relação a Arthur, representa o fim da união dos 3 mundos. Quando Arthur manda procurar o Graal, ele está mandando procurar o Graal, essa união dentro de cada ser.

Quem no mito representa isso é Galahad, que é a união dos 12 Cavaleiros da Távola Redonda num só ponto. É a culminação de todas as virtudes humanas, representando aquele que consegue conquistar a si próprio numa única lei. = é o HOMEM IDEAL.

No final, Arthur é ferido e entrega a espada EXCALIBUR a um de seus cavaleiros. Este lança-a ao lago e ela desaparece. A água representa o símbolo do mundo material. Ela só ressurgirá quando os homens forem dignos dela e dos princípios espirituais.

Segundo o mito, uma vez por ano, Arthur se reúne com os cavaleiros, pergunta se estes estão prontos e eles negam. Passa-se assim mais um ano e ele volta a adormecer. Os cavaleiros andam pelo mundo e aguardando o retorno de Arthur. (Procurando o mundo espiritual).

3 comentários:

  1. Fantástico, nunca tinha visto a importância e significados deste mito

    ResponderExcluir
  2. Só corrigiria o aspecto histórico... Quando da chegada dos romanos em 43 através do imperador Cláudio que lá estabeleceu a província da Britânia, as ilhas eram habitadas pelos pictos e escotos, de origem celta.

    ResponderExcluir
  3. História ou Estoria, livro que conta a vida do mundo antigo as vezes vira lenda, sem nenhum
    medo de errar, em contato com estudiosos eles afirmam que hoje estudos tem mostrados erros bom...

    ResponderExcluir